18 março 2009

Twittada do dia



"Este Papa é um vilão na boa tradição de Ming o impiedoso. Ir a África e atacar o uso de preservativo? Só faltou a gargalha sinistra no fim."
-Nuno Markl

4 bitaite(s):

Zin disse...

A caricatura parece mais uma foto...

Helder disse...

É que realmente não cabe na cabeça de ninguém dizer tamanha asneira! Vindo do papa ainda torna a asneira mais grave... é retroceder décadas de luta contra a doença.. não percebo…

Mandillo disse...

as religiões, estãoe via de extinção, é o que vale á consciência humana!

Daniel Silva disse...

Nuno,

São umas atrás das outras, mas sem querer defender o Papa, repare-se o que aconteceu com o bispo que praticamente negava o holocausto nazi, e só depois o Papa veio a saber dos seus pensamentos pseudo_historicos e nao aceitou as desculpas que o bispo fez ao Vaticano porque as não fez ao mundo em geral e aos judeus em particular.

Este Papa sofre de alguma ingenuidade. Também não podemos querer dele a perfeição. Tem responsabilidades acrescidas mas também na universidade de Ratisbona foi (muito) mal interpretado. Falava como um académico no meio de outros tantos e depois a comunicação social empola apenas o que lhe interessa e veste as palavras no papa e não apenas no homem e teólogo que também é.

Sobre este caso dos preservativos, eu penso que ele se referia ao mal em si, ou seja, não é o mal em si que lhe aflige, porque ele existe se concorrermos para ele. Ele segue a apenas a posição oficial da Igreja (que não é completamente dogmática, atenção, estamos a falar de normas gerais, tal como no aborto é admitido pelo Vaticano (Direito canónico)nas mesmas circunstancias do Direito Civil.

Ou seja, eu penso que ele se esquece do problema africano onde a disseminação da Sida é qualquer coisa de perturbante, mas continua a insistir no efeito e não na causa (que tem a sua lógica mas não neste continente em particular), e que é, evitem promiscuidades, evitem parceiros a rodos, sejam monogâmicos que a Sida nunca vos atingirá... Porque a Sida não é o cancro que pode apanhar qualquer um.

Foram palavras infelizes, estas do Papa, mas penso que percebi a ingenuidade porque vê o problema apenas na perspectiva de que se se fica doente é porque se tem comportamentos de risco e falta de valores, o que é inadmissível à luz da Igreja.

Enviar um comentário