20 agosto 2008

14



Como dizia o poeta, todas as cartas de amor são ridículas, por isso desculpem desde já o texto que se segue:

Catorze anos. Fecho os olhos e revejo o momento exacto em que te conheci. Nunca imaginei o impacto que aquele acaso iria ter nas nossas vidas. Começamos nervosos e sem manual de instruções para a construção de uma vida a dois. Fomos dando pequenos passos e alguns tropeções pelo caminho. Mas é de tudo isto que uma vida se constrói, que uma paixão se transforma num amor cúmplice. Poder estar aqui, ao teu lado, catorze anos depois, é uma honra e um privilégio para mim.
Amo-te muito, Zig.

2 bitaite(s):

Aequillibrium disse...

não peças desculpa.

Acho lindo!
;)

Parabéns do fundo do coração.

lo(l)st disse...

Adorei!!
Muitos Parabéns!!!

Enviar um comentário