21 fevereiro 2007

Apontamentos de viagem (I)

Memórias da guerra
Na cidade do Kuwait ainda se vêem alguns edifícios com cicatrizes da guerra mas a reconstrução a todo o vapor lembra bem como o petróleo pode fazer milagres.

A nossa entrada no hotel era precedida por uma série de controlos e medidas de segurança a lembrar bem a instabilidade que se sente na região. Desde barreiras de aço para evitar atentados com carros armadilhados até passagem por detectores de metais. Entrar ou sair com pressa é algo que não existe.

Um dos locais que mais apreciei foi esta marina perto da cidade, onde se pode tomar uma bebida enquanto se aprecia a excelente vista.




Trânsito

Esta é uma imagem constante no Dubai. O local é espectacular, mas o tráfego que é realmente infernal. Aquelas estradas não estão concebidas para o fluxo de carros que tanto arranha-céus gera e todo o dia é o caos. O metro está em plena construção e pode ser que venha aliviar um pouco os constantes congestionamentos que estragam o que é de resto uma cidade fantástica.

Portugal
Nada como mostrar um passaporte português ao tirar um visto. É porta automática para um grande sorriso e para ouvir uma menção a Figo ou Ronaldo seguido de um sincero "Welcome!".

Surpresa

A capital de Omã, Muscat, foi o local que mais me surpreendeu. Tudo foi pensado ao pormenor, com edifícios bem cuidados, ruas limpas e muitos canteiros de flores que nos fazem esquecer da aridez do país. A ladear a cidade cheia de edifícios baixos e casas brancas encontram-se dois fortes cravados na rocha, cuja arquitectura sofreu uma influência portuguesa no século XVI.

Compras

A Splash é uma cadeia de lojas multimarcas com preços excelentes e tornou-se um ritual visitá-la em todos os locais onde paramos. E como só existe no médio-oriente, não há o perigo de me chocar com clones por cá :)


Para uma experiência mais tradicional fui também ao maior mercado de Omã. Não me posso confessar um fã incondicional, principalmente por estar sempre recheado de turistas por todo o lado e as condições de higiene deixarem muito a desejar. Mas não deixa de ser uma visita inevitável.

Emirates

Já tinha ouvido falar que era uma excelente companhia aérea, mas realmente o serviço que até a classe económica providencia deixa ao longe as business classes de muitas companhias europeias. E o facto de poder assistir à aterragem no Dubai através da câmara do cockpit no ecrã do meu lugar foi uma experiência única. Por uma vez não queria que um vôo terminasse.

0 bitaite(s):

Enviar um comentário