26 maio 2005

O Farpas vai às fitas



Eu e o moço fomos ver O Lado Bom da Fúria principalmente por causa de Joan Allen, de quem gostamos muito. O facto de ter Kevin Costner no elenco fez-me desconfiar que podia ser uma charupada mas afinal estava errado. É um filme sobre personagens imperfeitas, que cometem erros, e que lidam com o quotidiano afogando as mágoas na bebida. Mas é também muito mais que isso. É uma história sobre as alturas em que descemos ao fundo do poço e em que precisamos de reunir as forças suficientes para voltar a subir à tona. E em que o lado positivo é, por vezes, a nova pessoa que emerge dessa odisseia. No fundo, O Lado Bom da Fúria é uma história sobre sobrevivência. Ou não.

PS: Esta foi a primeira vez que fomos aos cinemas do Dolce Vita, no Porto. Só tenho a lamentar que o filme tenha começado com duas cortinas pretas dos lados que tapavam parcialmente a imagem e ter sido necessário ir reclamar para que a situação fosse resolvida. A conclusão a que chego é que tratam os filmes como simples mercadoria e nem se dão ao trabalho de verificar as condições de exibição quando a sessão começa. E isto já para não falar do número excessivo de anúncios que somos obrigados a aturar depois de desembolsar cinco euros para assistir à sessão...

0 bitaite(s):

Enviar um comentário