30 novembro 2004

Mais vale tarde que nunca (?)

Boas novas



Jorge Sampaio dissolve parlamento e convoca elei��es.

Thirtysomething ;)



Para a minha querida amiga N�n� um beijo enorme de parab�ns!! � uma pena n�o podermos estar juntos, mas o que vale � que os blogs encurtam um pouco as (grandes) dist�ncias! K seja por muitos e bons (e em 2006 j� aqui connosco).

29 novembro 2004

Inventions from hell II



N�o contentes com o Watur, a mesma empresa resolveu criar o (igualmente) inspirado Aquariass. J� imaginaram a vida daqueles pobres peixes ?

Inventions from hell I



Se calhar na cabe�a de quem a imaginou, uma porta de �gua at� podia ser uma boa id�ia. A concretiza��o � que � um desastre. Basicamente parece um cinzeiro gigante com uma moldura � volta a escorrer �gua (se tivesse num museu se calhar at� poderia ser considerada uma "instala��o"). O nome tamb�m � a condizer: watur. Vai vender que nem p�ezinhos quentes, de certeza...

via Funfurde.

Inspira��es (?)



� esquerda David LaChapelle. � direita Dylan Ricci.

(un)imagination



Eu ia comentar a pobreza franciscana do poster dos Oscares do pr�ximo ano, que foi apresentado em Los Angeles com toda a pompa e circunst�ncia. Mas depois apercebi-me que deve reflectir o estado actual da ind�stria cinematogr�fica americana, sem imagina��o, com filmes com reduzidos ao menor denominador comum, a fazer remakes (fracas) de filmes europeus e asi�ticos, sempre com um piscar de olho � camada mais jovem, fazendo v�nias ao castrador sistema de classifica��o vigente e vergando-se cada vez mais ao absurdo fanatismo moral que se vive por terras de Jesusland. Se pretendiam reflectir isso, ent�o est�o de parab�ns. Fizeram um trabalho magn�fico.

All work and no play



Com v�rios trabalhos entre m�os, esta semana o Farpas andou um pouco aos solu�os. Espero retomar o ritmo normal nos pr�ximos dias.

27 novembro 2004

Os mo�os v�o-se embora :(



Hoje na RTP 1 � 01:00. O v�deo j� est� a postos.

26 novembro 2004

A montanha pariu um rato



Afinal a t�o badalada bissexualidade de Alexandre o Grande no novo filme da temporada n�o passa de uns esgares solenes trocados entre o protagonista e um Jared Leto afogado em eyeliner. As cenas mais ousadas est�o reservadas, como conv�m aos "bons costumes" americanos, para Alex e uma tradicional mo�oila. Onde est� o Oliver Stone de antigamente ?

25 novembro 2004

Who's daddy ?



V�rios placares destes, ao estilo das melhores ditaduras mundiais, apareceram recentemente na Fl�rida. R�i-te de inveja, Fidel!

via The Blue Lemur.

24 novembro 2004

Enquanto isso mais a leste...



adaptado de The Ottawa Citizen.

Contesta��o do dia



Por vezes era o que apetecia fazer...

Melhor Inven��o do m�



Dava tanto jeito em certas ocasi�es...

Con$umi$mo Natal�cio



Junte-se � La R�sistance.

Pior inven��o do m�



Patente emitida nos EUA em 24 de Janeiro de 2004 para um encosto de cabe�a para urin�is e chuveiros.
Para manter a dignidade do blog deixo as piadas sobre o assunto � imagina��o de cada um...

via PreSurfer.

A natureza no seu melhor



via caf� da manh�.

Bem precisam



na loja da Mule Design.

22 novembro 2004

Me first! Me first!



� t�o bonito ver a natureza em ac��o! A foto acima � retirada de um epis�dio que deu recentemente no Discovery Channel sobre a Marca��o de Territ�rio. O macho da esquerda, embora seja temporariamente o chefe da matilha, acha que mesmo na toca dos outros deve ser sempre ele a mandar. O macho da direita que j� viu de tudo, n�o lhe liga nenhuma e aperta o desgra�ado jovem l�der ensinando-lhe mais uma li��o sobre como, mesmo entre os animais, pode (e deve) existir civilidade. A natureza � s�bia. Agora portem-se bem e n�o fa�am chichi nos cantos...

Aventuras em Jesusland II



John Hostettler, um congressista norte-americano, foi convencido por alguns grupos religiosos a introduzir legisla��o para mudar o nome da autoestrada interestadual 69 para um n�mero, digamos, mais moral...

Diz ele: "Cada vez que saio � rua com um crach� dizendo I-69 os adolescente apontam para mim e riem-se. Muitos j� me perguntaram se lhes dava o crach�. Acredito que � altura de mudar o nome da autoestrada. � o acto moral correcto."

Os mi�dos s�o uns malvados a meterem-se com um congressista indefeso. O �nico consolo � que daqui a um ano ou dois v�o parar ao Iraque, isso sim um acto moralmente correcto...

21 novembro 2004

Servi�o P�blico



Filipe Folgosi � actor da Globo e a �ltima sensa��o do Paparazzo. Quem disse que as novelas n�o tinham nada de interessante ?

Bravo!



Excelente o espect�culos dos Les Trocks. Dan�am como umas aut�nticas bailarinas e simultaneamente transmitem humor q.b. atrav�s de m�mica e express�o corporal. O Coliseu estava cheio (maioritariamente de mulheres e "primas", porque ser� ?) nesta segunda noite de actua��o. Na pr�xima semana, de 23 a 28, � em Lisboa e aconselho vivamente o show a quem viva na capital. Nota alta tamb�m para o programa totalmente traduzido e adaptado (as biografias das "bailarinas" s�o excelentes) e para o texto inicial (ao qual o p�blico n�o sabe muito bem como reagir de entrada at� que lentamente se apercebe que � um aut�ntico gozo).

20 novembro 2004

Les Trocks



Este � o nosso programa para hoje. Mam�e foi ver ontem e diz que s�o fant�sticos. Amanh� digo de minha justi�a.

Christmas lifting



O Farpas j� est� equipado para o Natal. Ainda faltam uns acertozitos mas at� aos Reis esta vai ser a nossa nova cara. Depois logo se ver�

19 novembro 2004

Espero que tenham pago bem � modelo

Ballsies are zany
Ballsies are nuts
You, too, could wear them
If you have the guts


As joias da fam�lia j� est�o � venda...

Manual Ilustrado



Como n�o i�ar um carro da �gua.

via Prolific.org.

18 novembro 2004

Jesusland Adventures



Helen Chenoweth-Hage, uma ex-congressista, que tentava embarcar num v�o entre Boise e Reno, foi interpelada pelo pessoal de seguran�a para ser revistada uma segunda vez, ap�s lhe terem feito a revista de rotina. Ela exigiu ver o regulamento que autorizava este procedimento e foi-lhe dito que n�o o poderia ver. Aparentemente agora existem leis classificadas como "sens�veis" e que, embora os cidad�os n�o as conhe�am, tem de as obedecer. O problema � que nem sequer est�o autorizados a saber o que a lei diz por alegadas "quest�es de seguran�a". Basicamente as autoridades podem fazer o que quiserem invocando leis secretas. Ser� que sinto novamente o cheirinho de uma Europa de Leste de tempos passados ?

via Metafilter.

Upside down



"Roubei" ao Zoickarias a id�ia de inverter a ordem dos coment�rios come�ando pelo mais recente. Acho que faz mais sentido. Espero que gostem.

O pesadelo dos bibliotec�rios



Uma livraria em San Francisco, a Adobe Bookshop, foi convertida numa imensa instala��o de arte por uma semana. Todos os seus 20.000 livros foram reclassificados e dispostos segundo a sua cor. Mudando de vermelho a laranja, de amarelo a verde, os livros seguem o espectro de cores continuamente.
Foram necess�rios 20 volunt�rios para fazer a transforma��o literalmente da noite para o dia.
Pelo menos a publicidade ganha dever� compensar o facto de durante uma semana n�o se encontrar livro nenhum a n�o ser que se saiba exactamente a cor da capa...

via Cynical-c.

17 novembro 2004

A/C Dica da Semana



Segundo um estudo realizado com 88 adolescentes nos EUA (44 que vivem com casais de mulheres e 44 com casais heterossexuais) o que importa para o desenvolvimento de um adolescente n�o � a orienta��o sexual de seus pais, mas que a rela��o com eles seja boa.

O trabalho mediu a auto-estima, a integra��o, o rendimento escolar e o tipo de rela��es. A conclus�o � que n�o existe diferen�a.

No estudo, publicado no �ltimo n�mero da Child Development, foram identificados adolescentes que viviam com casais de mulheres (sua m�e natural ou adoptiva e a companheira desta), mas sem que existisse um pai como figura masculina que os rapazes identificassem como tal. Menos de 10% dos adolescentes pesquisados eram homossexuais e, como nas demais vari�veis, distribu�a-se de forma igual entre os dois grupos.

Segundo o estudo, factores como o sexo do adolescente, a idade e o tipo de rela��o com os seus pais n�o fazem diferen�a entre os que viviam com duas mulheres ou com um homem e uma mulher.

Originalmente no Mixbrasil.

16 novembro 2004

Perdido num mar de ressalvas



Hoje tinha na minha caixa de correio mais um exemplar do jornal "dica da semana". E juntamente com ele vinha uma "not�cia" extraordin�ria. O t�tulo, a pre(con)ceito era "Filhos de pais homossexuais podem sofrer altera��es de comportamento". A chave de todo o artigo � o "podem" porque permite todo o tipo de especula��es infundadas sem ter que haver provas ou estudos comprovativos.

O tom do artigo adivinha-se logo na terminologia utilizada. Diz o psicanalista Coimbra de Matos: "O risco da crian�a se tornar homossexual vivendo com um casal homossexual � m�nimo". Primeiro: se � min�mo porque � que isto � not�cia ? E j� agora porqu� "risco" ? Estamos a falar de alguma doen�a ? "A probabilidade" n�o seria mais adequado (e correcto) ? E j� agora o "risco" � t�o "m�nimo" que � id�ntico ao dos outros casais segundo o psicanalista: "(o risco de se tornar homossexual) � o mesmo que vivendo com um casal heterossexual". Portanto chega-se � conclus�o que o argumento � apenas fogo de vista porque a sexualidade da crian�a n�o depende dos pais mas dela pr�pria, sendo a probabilidade da crian�a ser homossexual igual quer os pais sejam homossexuais ou heterossexuais. Primeira "n�o-not�cia".

De seguida fala-se dos problemas sociais que as crian�as poder�o enfrentar. Ocasionalmente poder� surgir algum problema social, � certo, mas surgem tamb�m (e em maior quantidade) em muitos outros contextos que n�o o dos pais homossexuais. E este argumento tamb�m falha na medida em que n�o se pede a nenhum outro grupo minorit�rio para n�o ter filhos com base na no��o de que poder� existir a probabilidade de estes serem discriminados. O problema aqui � a pr�pria sociedade n�o a crian�a nem os seus pais. E enquanto artigos como este existirem, a� sim, o "risco" da crian�a ser discriminada continuar� elevado...

Finalmente vem a parte mais extraordin�ria em que se fala da "indu��o da homossexualidade". Nem sequer vou comentar este tipo de "teoria" mas das duas uma: ou se presume que o facto de um casal ser homossexual pode influenciar a sexualidade da crian�a ou estamos a falar de algo mais aberrante como uma crian�a que possa sofrer uma esp�cie de lavagem cerebral por parte dos pais transformando-se num homossexual contra-natura. Presumo que seja a primeira. Mas fico na d�vida pelas afirma��es do psicanalista: "A indu��o da homossexualidade por parte dos pais � um risco (outra vez), mas quando o amor paternal respeita a individualidade da crian�a n�o lhe imp�e uma determinada educa��o (ressalva impl�cita)". Esta afirma��o ainda � mais extraordin�ria porque surge no seguimento da ressalva "expl�cita" de que "(...) n�o (h�) uma rela��o causa-efeito entre a identidade sexual dos filhos e dos pais". Em que � que ficamos ? Afinal se n�o h� causa-efeito ent�o os pais n�o poder�o "induzir" o filho � homossexualidade, certo ? L� se vai a "teoria da indu��o" pela janela... E com tanta ressalva esta transforma-se na segunda "grande" "n�o-not�cia". E j� agora, o problema da "indu��o" n�o se colocar� antes no sentido inverso, dos muitos pais heterossexuais que tentam condicionar os seus filhos a contrariarem a sua pr�pria natureza e a viverem uma vida de fachada ? Porque � que n�o fazem um estudo sobre isto ? Isto sim, um problema real e traumatizante para muitas crian�as e adolescentes. Para a pr�xima criem um artigo intitulado "Filhos de pais heterossexuais podem sofrer altera��es de comportamento" e talvez consigam dizer alguma coisa com nexo.

Onde est� o balde do lixo ?

15 novembro 2004

Enganando o c�rebro



Nesta p�gina est� uma das melhores ilus�es de �ptica que j� vi (literalmente...)

via Metafilter.

13 novembro 2004

As Meninas II



Vi o epis�dio-piloto de "The L Word" com o meu mo�o. A s�rie parece ser muito interessante e, como vem no embalo do Queer as Folk, a din�mica e o ritmo acelarado de contar a hist�ria � uma constante. Infelizmente acho que h� um ou outro elemento "mais" for�ado. A namorada do vizinho, por exemplo, � t�o rapidamente envolvida e seduzida que a situa��o se torna inveros�mil. Seria muito mais interessante desenvolver subtilmente ao longo de v�rios epis�dios o seu crescente envolvimento e descoberta (ou questionamento) da sexualidade. De resto as personagens embora n�o consigam disfar�ar totalmente o seu estere�tipo (a tenista "in the closet", a rebelde independente, a bi descomplexada, o casal em crise, etc.) est�o bem definidas e n�o caem em lugares comuns.
S� uma nota menos positiva para dois aspectos da edi��o em DVD: a aus�ncia total de legendas (nem em ingl�s) o que torna alguns di�logos impercept�veis (principalmente no bar com m�sica de fundo quando falam v�rias personagens ao mesmo tempo) e a dobragem "�bvia" das falas, principalmente nas cenas do vizinho e da sua namorada (a cena do aeroporto � um caso sintom�tico) em que a coordena��o do que � dito com o que se ouve est� longe de ser perfeita e � uma distrac��o desnecess�ria que nos afasta do universo da hist�ria. Mas no geral esta � uma edi��o recomendada e � sempre de louvar a Showtime por ter colocado no mercado a primeira s�rie l�sbica da TV.

As Meninas I



Fui hoje at� Serralves ver a exposi��o da Paula Rego. Eu j� tinha expressado aqui no blog a minha admira��o pela sua mestria t�cnica mas com uma reserva a n�vel do seu estilo, que pessoalmente n�o me atrai muito. Mas a minha opini�o mudou um pouco ao ver os quadros ao vivo. � extraordin�rio o trabalho de desenho dos corpos e, algo que me chamou particularmente a aten��o, dos tecidos. Se calhar o tamanho das telas aliado � min�cia de cada pintura fizeram-me ver os quadros com outros olhos. Os estudos para v�rios dos quadros que l� se encontram s�o tamb�m uma excelente forma de se perceber o trabalho desenvolvido por Paula Rego at� chegar ao quadro final.
Na minha passagem pela livraria do Museu dei de caras com o livro do document�rio que tinha aqui recomendado, The Celluloid Closet. Al�m deste, dentro da mesma tem�tica havia o OutTakes apenas sobre as personagens l�sbicas no cinema. � bom saber que em alguns lugares a diversidade ainda se mant�m viva.

P.S.: N�o percam tamb�m a instala��o de Susan Hiller, Witness, que � uma deliciosa surpresa.

11 novembro 2004

Chegou



Hoje j� temos ser�o. Vamos l� ver como se portam as meninas... ;)

Foi-se

O Arm�rio de Celul�ide



"Hollywood, that great maker of myths, taught straight people what to think about gays and gay people what to think about themselves."
- The Celluloid Closet

Revi ontem este document�rio que comprei o ano passado. Continua a supreender-me e � um retrato �nico da percep��o dos gays pela sociedade.

The Celluloid Closet � baseado na obra hom�nima de Vito Russo que fez furor nos anos 80. O document�rio, realizado em 1995, inspira-se no livro mostrando a forma como os homossexuais t�m sido representados no cinema desde os prim�rdios da s�tima arte at� � actualidade. Os exemplos e temas s�o muitos:

* A dissimula��o (ou mesmo omiss�o) da homossexualidade nos argumentos. Algu�m, que n�o n�o conhe�a o livro, percebe qual � o problema de Paul Newman em "Gata em Telhado de Zinco Quente" ?

* As figuras assexuadas que serviam apenas para introduzir algum "comic relief"

* O atrevimento antes da chegada do inf�me c�digo Hayes como a cl�ssica actua��o andr�gina de Marlene Dietrich em Morocco.

* Os gays como vil�es. Da governanta de Rebecca a Sharon Stone em Basic instinct.

* Os constantes exemplos de "read between the lines". De um Cary Grant de robe de senhora a gritar "I'm gay" � rela��o entre Charlton Heston (que n�o sabia o que se passava) e Stephen Boyd (que sabia muito bem...) em Ben-Hur.

O document�rio entrela�a os clips de filmes com a opini�o de diversas personalidades de Hollywood estando a narra��o a cargo de Lily Tomlin.

A edi��o em DVD est� excelente e possui ainda uma s�rie de extras de onde se destacam as cenas cortadas e os dois coment�rios a�dio.

Imperd�vel.

10 novembro 2004

J� vai tarde



O homem que perdeu uma elei��o para um morto, que se op�s � elei��o de um ju�z negro para um tribunal federal e que louva os "her�is" do sul na guerra civil americana (entre outras tantas p�rolas) vai agora sair do seu posto n�o-eleito de Attorney General. O que est� a fazer furor � a sua carta de resigna��o. Nela, John Ashcroft, fala da luta contra o terrorismo como uma cruzada sua que terminou com sucesso. Ali�s um par�grafo resume todo o texto:

"The objective of securing the safety of Americans from crime and terror has been achieved"

Esqueceu-se foi de referir que n�o conseguiu neste tempo todo uma �nica condena��o por terrorismo e que o terrorista mais "procurado" do mundo continua � solta e a fazer das suas. Mas isso devem ser pormenores...

J� c� canta



Acabadinho de sair do forno...

Downtown



Finalmente reabriu o Passos Manuel. Ontem fui l� por recomenda��o de um amigo e ainda bem porque as saudades eram muitas (lots of memories...). O interessante � o espa�o ter sido repensado mas conseguindo ainda assim reconhecer-se o cinema de outrora. Muitos dos elementos antigos continuam por l�, associados � inova��o do bar junto � sala de espect�culos, que deixa de ser s� para cinema, e o pequeno club no local do bar antigo. A decora��o acompanha sem pretenciosismos. A casa de banho � que faz doer os olhos com o reflexo sem miseric�rdia da luz branca.

O concerto foi das Cocorosie, antecedidas por Antony and the Johnsons. Tudo com muita calma, bem diferente do que � costume, e um intervalo pelo meio para explorar melhor o espa�o e beber qualquer coisa.

Foi uma noite diferente e muito interessante, num espa�o que bem merecia este rejuvenescimento. Agora s� falta o Batalha...

09 novembro 2004

't� mal!



Sempre atento �s novidades da s�tima arte, o Farpas j� tinha apresentado o Chris Evans com uma foto condizente com os talentos naturais do actor. Agora volta � baila para exprimir a sua indigna��o em rela��o ao fato que ele ir� usar no filme dos "Fantastic Four".
Se a Halle Berry combatia o crime no m�nimo de couro indispens�vel porque � que t�m que vestir o nosso rapaz at� ao pesco�o ? Qual a necessidade de ele usar algo maior que uma tanga ? O filme n�o � propriamente uma adapta��o de Shakespeare por isso mais valia deixarem-nos apreciar as vistas, n�o era ? Aqui fica a sugest�o.

Adeus ao muro



A RTP dedica a sua emiss�o de hoje aos 15 anos da queda do Muro de Berlim. Entre o especial informa��o e um concerto de Roger Waters vai dar o filme Good Bye Lenin!, pelas 23:30. A n�o perder.

08 novembro 2004

Uma pequena sugest�

Uma pesquisa online ao termo homofobia revela os seguintes resultados:



Os senhores da Universal e Priberam deviam saber que estar literalmente correcto n�o basta. Uma pequena sugest�o: porque � que n�o actualizam o verbete na pr�xima revis�o ao vosso dicion�rio ?

Photo finish



100 palavras e imagens que definem o que se passa nas not�cias, hora a hora. Uma forma diferente de observar o mundo.

Em Metafilter.

06 novembro 2004

a hist�ria de *mesmo* quase tudo



Do nada at� aos nossos dias, dezenas de temas relacionados com o nosso mundo s�o tratados de forma pr�tica e fascinante no �ltimo livro de Bill Bryson. Uma excelente edi��o da Quetzal Editores mesmo para quem n�o l� habitualmente livros sobre ci�ncia.

Tamb�m do mesmo autor, e para quem escreve em ingl�s, h� o excelente "Bryson's dictionary of troublesome words", mas ainda sem edi��o nacional.

What the hell happend to George Clonney ?



Ser� tudo por amor � arte ?

O que � que ele disse, mam� ?



A Premiere deste m�s chama a aten��o para uma esp�cie de lenda urbana que est� a nascer � volta de uma palavra dita no filme Shrek 2. Aparentemente o sotaque de Shrek ao dizer a palavra "bolas" transforma-se em muitas salas de cinema numa vers�o muito pr�xima de f****-**, o que n�o � muito aconselh�vel num filme para maiores de quatro anos...
Para p�r fim � pol�mica a Lusomundo disponbilizou o master em que a palavra � dita e n�o h� d�vidas que se trata de um inocente bolas arrastado, mas a vers�o gravada do som na sala � bastante mais enganadora... Realmente a l�ngua portuguesa � muuuiiittto trai�oeira...

Para tirar as teimas aqui ficam as duas vers�es:

vers�o master

vers�o do som na sala

originalmente no Blogouve-se.

Estavam todos a dormir ?



"O Tratado assinado na semana passada, em Roma, atribui a compet�ncia exclusiva de explora��o e aproveitamento, conserva��o e gest�o dos recursos biol�gicos do mar � Uni�o Europeia. Ou seja, a Constitui��o Europeia retira a Portugal a soberania sobre a sua Zona Econ�mica Exclusiva (ZEE)"

"� incr�vel como o Governo portugu�s deixou passar esta medida sem qualquer contesta��o. Em Bruxelas ficaram muito surpreendidos por Portugal n�o se ter oposto", comenta Jo�o Salgueiro.


Daqui a pouco o nosso fant�stico governo at� a terra deixa ir...

Adaptado do Expresso.

05 novembro 2004

Back home



Depois do desaire eleitoral o nosso rapaz da bandeira resolveu voltar ao rancho. Diz que s� volta a haste�-la daqui a quatro anos...

Entretanto em Jesusland...



em Humor Ink.

Dick head



Segundo as sondagens, 23% das pessoas identificadas como sendo gays votaram em Bush. Isto mesmo depois do Log Cabin Republicans, o maior grupo de gays republicanos, ter retirado o seu apoio ao candidato do partido.

Billy, do blog Wet Dreaming, ficou chocado com este n�mero e foi falar com um amigo seu, gay e apoiante de Bush. A resposta e justifica��o que d� por ter votado no actual presidente � esclarecedora:

"I'm not looking to run out and get married. There's more than just that one issue. At least I'm able to vote with my head and not with my dick, unlike most fags."

H� d�vidas de quem � o verdadeiro dick head ?