31 julho 2004

Reac��es �s not�cias do Vaticano...

Out of the bottle

Devo ter andado distra�do para ainda n�o ter reparado no video de Christina Aguillera, Beautiful, durante o qual um casal gay d� um longo beijo (� francesa, nem mais) e no final olha-se ternamente. A acompanhar vem uma letra apropriada:

(...)
We are beautiful no matter what they say
Yes, words won't bring us down
We are beautiful in every single way
Yes, words can't bring us down
Don't you bring me down today
(...)


N�o � propriamente Pessoa, mas prontos. �s vezes uma imagem vale realmente mais que mil palavras:

Melhor resposta do m�

� m�zinha mas tem piada...

Conversa no f�rum madonnamad.com:

User1
I was reading an article the other day about gay marriage... and... the subject came up of what to call your gay spouse.

It's a good question.

What would you prefer to be called (by your spouse) and what would you want him to call you?


User2
call him ''bitch''...that way he'll know who's in charge.

30 julho 2004

Desabafo Melodram�tico



Desculpem l�, eu j� me recomponho.

Palavra do m�


Originalmente um sin�nimo de "estranho", esta palavra tornou-se uma express�o derrogat�ria para os gays no s�culo XX. Embora muitas pessoas ainda usem "queer" como um ep�teto anti-gay, nos anos 80 surgiu um movimento que se intitulava, de forma positiva, "queer". Usado neste contexto, "queer" significa sexualmente dissidente, mas n�o necessariamente gay. Muitos gays, transsexuais, bissexuais e mesmo heterossexuais cuja sexualidade n�o se encaixa na vis�o normalizada de casamento heterossexual monog�mico adoptaram o termo "queer" para expressar a sua sexualidade.

Adaptado de gayhistory.com

A vida � mais incr�vel que a fic��

I Am My Own Woman (ou I am My Own Wife consoante a edi��o) � um livro obrigat�rio. Relata as extraordin�rias mem�rias da alem� Charlotte von Mahlsdor desde a sua inf�ncia antes do in�cio da Segunda Guerra Mundial onde descobre o gosto por vestir roupas de menina, passando pelo per�odo nazi em que se refugia na Pr�ssia com a m�e at� encontrar finalmente a figura-chave da sua vida, uma tia l�sbica que a compreende e apoia. Ap�s o regresso a casa mata o seu pai violento e usa o precedente in�dito de s�ndroma da mulher abusada na sua defesa. E isto � s� o in�cio... Uma vida real que se l� como um romance de fic��o.

O livro foi adaptado recentemente para a Brodway onde ganhou v�rios Tonys.

29 julho 2004

Olh� fio da moda!!!


Agora que a Kabbalah virou a sensa��o do momento, gra�as a Madonna,as empresas come�am a facturar (muito) em cima da nova moda.
A Target vende fio de l� vermelho que garante ter viajado at� Israel, � antiga tumba de Raquel, a Matriarca, e que proteje contra o mau-olhado. O fio de l� vende pela m�dica quantia de 25.99 d�lares (!)
Agora s� faltam as garrafas de �gua do Rio Jord�o...

Palavras s�bias

Cita��o do Presidente Theodore Roosevelt, no Kansas City Star, em Maio de 1918:

"O Presidente � apenas o mais importante entre um grande n�mero de servidores p�blicos. Deve-se apoi�-lo ou n�o no grau exacto da sua boa ou m� conduta e na sua efici�ncia ou inefici�ncia em prestar servi�o leal, capaz e desinteressado � na��o no seu todo. Por isso � absolutamente necess�rio que haja inteira liberdade para dizer a verdade sobre os seus actos e isto significa que � necess�rio culp�-lo quando erra e elogi�-lo quando acerta. Qualquer outra atitude de um cidad�o americano � prim�ria e serventil. Anunciar que n�o deve haver cr�ticas ao presidente ou que devemos ficar ao seu lado, quer esteja certo ou errado, n�o � apenas anti-patri�tico e serventil, mas uma trai��o moral para com o p�blico americano. Somente a verdade deve ser falada sobre ele ou qualquer outra pessoa. Mas � ainda mais importante dizer a verdade, agrad�vel ou n�o, sobre o presidente do que sobre qualquer outra pessoa."

Em que acreditam os rep�blicanos



Este � um sum�rio do que � necess�rio uma pessoa acreditar para ser um rep�blicano nos dias de hoje:

Saddam era um bom rapaz quando Reagan lhe deu armas, um mau rapaz quando o Bush-pai o combateu, um bom rapaz quando Dick Cheney fez neg�cios com ele e um mau rapaz quando Bush-filho precisou de uma distrac��o para o caso "Onde est� Bin Laden".

Com�rcio com Cuba � errado porque o pa�s � comunista mas o com�rcio com a China e o Vietname � vital para o esp�rito da harmonia internacional

Uma mulher n�o pode tomar decis�es sobre o seu pr�prio corpo, mas multinacionais podem tomar decis�es afectando toda a humanidade sem supervis�o.

Jesus ama-te e partilha o teu �dio por homossexuais e Hillary Clinton.

A melhor forma de aumentar a moral militar � louvar as tropas em discursos enquanto se cortam as pens�es dos veteranos e o sal�rio dos soldados.

Se n�o houver preservativos nas escolas, os adolescentes n�o ter�o sexo.

Providenciar cuidados m�dicos aos iraquianos � boa pol�tica. Providenciar cuidados m�dicos a todos os americanos � socialismo.

As organiza��es de sa�de e as seguradoras t�m como prioridade o interesse p�blico.

O aquecimento global e a liga��o do tabaco ao cancro � ci�ncia barata, mas o creacionismo deve ser ensinado nas escolas.

Um presidente mentir sobre um caso extraconjugal � uma ofensa nacional. Um presidente mentir sobre a causa de uma guerra � pol�tica de defesa consistente.

O governo deve limitar os poderes instituidos na constitui��o, que incluem a proibi��o de casamentos homossexuais e a censura da internet.

O p�blico tem o direito de saber sobre os neg�cios de gado de Hillary Clinton, mas a condena��o por posse de coca�na por parte de George Bush n�o diz respeito a ningu�m.

O que Bill Clinton fez nos anos 60 � de interesse nacional vital mas o que Bush fez nos anos 80 � irrelevante.

Adaptado de "What Republicans Believe".

28 julho 2004

LOGO


Com programa��o pr�pria como Family Outing (produzido por Cher), My Fabulous Gay Wedding (que acompanha casamentos gay), Fantastic Voyage (sobre as historias de gays e l�sbicas num cruzeiro de sete dias) al�m de muitas s�ries (QAF, L Word, etc.) e filmes dedicados � tem�tica GLTS, o canal LOGO ser� a primeira aposta televisiva s�ria no mercado gay americano.
Da responsabilidade da MTV, o canal inicia as emiss�es em 17 de Fevereiro com um document�rio bastante apropriado: The Road to LOGO.

Quantas d�cadas teremos de esperar para o ver por c� ?

27 julho 2004

Yes!



Bendita Icon!
Os bilhetinhos j� c� cantam. Os pre�os � que s�o muuuuiiitooo altos.
Enfim, paci�ncia. S�o menos umas noitadas em Agosto...

O Pa�s a arder (de novo)


Jornal de Not�cias (26/07):

"Repete-se o sempre temido e ainda por evitar cen�rio do pa�s em chamas. E os n�meros n�o permitem que se acredite, para j�, que o balan�o tr�gico do ano passado seja irrepet�vel. De acordo com n�meros da Direc��o-Geral dos Recursos Florestais, este ano (at� 18 do corrente) a �rea ardida � superior � do per�odo hom�logo do ano passado, em mais de cinco mil hectares."

Eu sei que estamos em Portugal mas n�o era suposto aprender-se com os erros do passado ?

A Conven��o Democrata


Em consequ�ncia da minha mensagem anterior a noite foi complicada e o sono demorou a vir. Andei a saltar de canal em canal at� que parei na CNN onde estava a dar a Conven��o Democrata. E vi e ouvi coisas interessantes.

Garra e intelig�ncia � assim que consigo descrever o discurso de Bill Clinton. Depois dos rep�blicanos terem acusado (mesmo antes de come�ar) que a conven��o iria ser um aut�ntico "Bush Bashing" Bill Clinton provou que esse n�o � um caminho obrigat�rio (embora tentador). Atente-se na forma diplom�tica como comparou os dois candidatos:

"We've got to choose for president between two strong men who both love their countries: Our nominee, John Kerry, who favors shared responsibility, shared opportunity and more global cooperation, and their president and their party in Congress, who favor concentrated wealth and power -- leaving people to fend for themselves -- and more unilateral action."

No entanto a melhor frase, e mais emblem�tica para mim, foi "Strength and wisdom are not opposing values. They go hand in hand.". Assim � que � falar.

O �nico orador a criticar directamente a administra��o Bush foi o ex-presidente Carter que a certa altura levou a audi�ncia ao rubro ao dizer "In the world at large, we cannot lead if our leaders mislead...". Enquanto os democratas comentavam que Carter tinha toda a legitimidade para falar dessa maneira os rep�blicanos desculpavam-se com a sua idade avan�ada.

Falaram tamb�m a senadora Clinton e o ex-candidato Al Gore com discursos amenos, sem controv�rsia e demonstrando o seu total apoio a John Kerry.

Sintom�tico � que em nenhum discurso o nome do actual presidente surgiu.

Entretanto, � sempre hilariante ir at� � Fox News ver como eles est�o a cobrir o acontecimento. Sem surpresa nenhuma a not�cia que cobria o primeiro dia da conven��o n�o come�ava por falar dos discursos mas sim de uma alterca��o que Theresa Heinz Kerry tinha tido com um jornalista conservador. Enquanto que nas outras esta��es isto n�o passou de um fait-divers na Fox o incidente era abertura destacada...

A CNN pelo contr�rio mostrou profissionalismo conduzindo uma emiss�o balanceada com coment�rios justos e claros por parte de democratas e republicanos. O senhor Murdoch bem que podia aprender umas coisas...

E n�o se pode extermin�-los ?


Num dos epis�dios da Nation TV, Michael Moore levava duas d�zias de carros para a rua do presidente da maior empresa de alarmes do pa�s e fazia-os soar todos em simult�neo de madrugada. � exactamente o que me apetecia agora fazer. S�o 2 e 20 e um alarme soa incessantemente aqui na minha rua. � nestas alturas que rezo para que, no caso improv�vel de ser um ladr�o, tenha sucesso e se pisgue o mais depressa poss�vel com a viatura.
Haja paci�ncia.

26 julho 2004

Ai Judy, Judy...


J� saiu em DVD o "Encontro em St. Louis" com (a ent�o) menina Garland. � obrigat�rio em qualquer colec��o que se preze, e claro que j� c� canta. Mas, como frequentemente acontece com edi��es portuguesas, o que � anunciado na contra-capa n�o reflecte o conte�do. Custava muito aos senhores da Warner meter o disco no leitor antes de fazerem a ficha t�cnica ? � que um dos document�rios indicados (Hollywood: The Dream Factory) simplesmente n�o existe e as anunciadas curtas-metragens musicais (assim mesmo, no plural) resumem-se a uma.
Por c� ainda exista a mentalidade de "o que interessa � a fita, o resto a malta n�o v�". � triste, mas � verdade.

Conclus�o: A FNAC vai levar com ele de volta e eu vou comprar l� fora a vers�o especial de dois discos que verifiquei custar o mesmo pre�o que a nossa vers�o roubada...

24 julho 2004

E o circo continua...


weekend


A praia � a grande culpada de este blog ficar semi-abandonado ao fim-de-semana. Hoje esteve um dia �ptimo mas ao final da tarde o vento come�ou a soprar com mais intensidade. Da� ter dado um pulo aqui ao farpas para deixar pelo menos uma mensagenzita para n�o pensarem que fugi de vez. Amanh� isto vai pelo mesmo caminho mas segunda-feira volto a picar o ponto.
Nota: os mo�oilos s�o s� para (com muita lata, � certo) compensar minimamente a falta de mensagens.

23 julho 2004

An�ncio brasileiro premiado em Cannes


Clicar na imagem para ver o an�ncio em tamanho real.

Notas da Esquire



A Esquire � a minha revista americana preferida. Ao contr�rio de outras revistas masculinas esta n�o gasta p�ginas infinitas com raparigas em bikinis, os artigos s�o de excelente qualidade e, muito importante, possui sentido de humor.
Aqui ficam algumas notas da edi��o deste m�s.

Melhor nova palavra

BLAMESTORMING: "Sitting around in a group, discussing why a deadline was missed or a project failed, and who was responsible".


Melhor (e + cruel) anedota geri�trica

"I took out an older woman the other night, and I mean old. I told her, 'Act your age!'. She died"


O pior pesadelo cinematogr�fico da d�cada

"Paramount thinks a big-screen version of The Love Boat - with a hip-hop theme song - is a good idea"

Melhor slogan de uma s�rie de televis�o

Six Feet Under
Any day above ground is a good day

Melhor ideia pol�tica (simples e eficaz) para John Kerry

"Have a job number, like Clinton did in 1992. Give the people a specific idea of how many jobs you'll create and remind them how many Bush has lost"

Melhores conselhos do "The Five-minute Guide to Surviving Everything"

Lighting: Avoid.
Sniper fire: Take cover.
Being buried alive: Tricky. See Kill Bill Vol. 2.

Melhores regras sobre bebidas alco�licas

"Ice. Lots and lots of ice."

"At the holiday office party, consume one drink less than your boss."

"Never utter the words I and love and you if you've had more than three drinks.
If you're a lightweight, make that one drink."


mais em www.esquire.com.

22 julho 2004

As� no!



Ontem no clube de v�deo n�o havia nada de jeito. Entretanto l� reparei no �ltimo de Robert Rodriguez e resolvi experimentar.
O "Era uma vez no M�xico", a parte final da trilogia Mariachi, � um filme com ideias interessantes e planos bem concebidos, mas acho que desta vez ele negligenciou demasiado a estrutura da hist�ria. Entre flashbacks e saltos entre as v�rias personagens o filme torna-se confuso e incoerente.
Se calhar nota-se aqui uma desvantagem do formato. As c�maras digitais podem ser o futuro mas � preciso saber domin�-las porque elas devem servir a hist�ria e n�o o contr�rio.
O futuro, neste caso, ainda vem longe.

21 julho 2004

Onde p�ra a verdade ?


Vi ontem o document�rio Capturing the Friedmans que concorreu este ano aos Oscares.
O filme relata a desagrega��o de uma fam�lia depois do pai e de um dos filhos serem acusados de abuso sexual de menores. O problema � que a verdade � tudo menos simples. O pai � claramente ped�filo mas o filho aparantemente foi apanhado no meio de toda a histeria do caso. N�s, os espectadores, tornamo-nos testemunhas com sentimentos ambivalentes porque nem a fam�lia, nem a pol�cia, nem as vitimas ou os advogados parecem querer contar a verdade.
Pelo meio uma fam�lia � destru�da e gra�as ao facto de o pai desde cedo gostar de m�quinhas de filmar h� a rara oportunidade de ver o conflito a desenrolar-se perante n�s, sem intermedi�rios. Uma aut�ntica trag�dia grega em que ningu�m ganha. E um extraordin�rio documento sobre a relatividade da verdade.

19 julho 2004

Sebasti�n Rulli


Prosseguindo o meu servi�o p�blico de uni�o entre os povos ;) apresento-vos desta vez o Sebasti�n, argentino de gema, que � actor e modelo em Buenos Aires. Que tal ?

Medos Irracionais


Embora alguns bravos machos digam que n�o t�m disso � certo que a grande maioria tem pelo menos uma fobia. Eu n�o tenho problema nenhum em confessar as minhas. Uma delas � do conhecimento geral de fam�lia e amigos e � o medo de andar de avi�o. � claro que muita gente argumenta que a maior parte das pessoas tem medo. Mas se � s� isso o que sentem ent�o n�o t�m realmente uma fobia. Quem tem fobia possui um medo "irracional" que envolve a mente e o corpo.
Embora j� tenha andado muitas vezes de avi�o, algumas vezes inclusivamente para destinos que obrigavam a voos de 12 e 15 horas, o medo em vez de diminuir sempre aumentou. Dias antes de um v�o as minhas m�os j� transpiram de antecipa��o e o batimento card�aco j� n�o � o mesmo. Qualquer not�cia sobre avi�es e document�rios do mesmo tema s�o totalmente votados ao ostracismo. Dois dias antes entro em contagem decrescente com os sintomas a piorarem exponencialmente.
O v�o � sempre um enorme tormento. Desde que levantamos at� ao pouso eu n�o sossego um minuto. Ou�o todo e qualquer ru�do (real ou imagin�rio) e estou atento a toda a movimenta��o da equipa de bordo. N�o como, petisco. Filmes nem v�-los. Dormir fica para depois. O p�nico � tanto que n�o aprecio um �nico momento do v�o. Se me dizem "olha que paisagem t�o linda" eu respondo um seco "pois, pois". Casa de banho s� se a bexiga me conseguir vergar.
E nem depois de aterrar sossego. Preciso de estar bem longe do avi�o antes de relaxar. Quando estou � espera das malas a� � diferente, sou a pessoa mais relaxada e feliz do mundo. Depois de toda a tens�o da viagem a descompress�o � de tal ordem que parece que fumei algo.
Se tenho pena de ser assim ? Muita. Se j� pensei em fazer alguma coisa ? Muitas vezes. Se j� fiz realmente alguma coisa ? Nunca. Porque sei que a �nica forma de curar uma fobia � enfrent�-la. E para j� n�o consigo. Se preciso de andar de avi�o para curar a fobia que pelo menos seja em destino a algum lugar �til e n�o meter-me numa traquitana voadora s� porque sim. Nessa altura ser� como juntar o �til ao desagrad�vel.
At� l� que me desculpem mas a pen�nsula ib�rica ainda tem muito para descobrir...

18 julho 2004

Sunny Days


O blog n�o fechou mas ontem troquei a luz do monitor pela do sol. Ao contr�rio do costume ainda n�o apanhei um escald�o por isso hoje volto � carga.
Amanh� j� estarei de volta.

16 julho 2004

Edward Weston


Este m�s na Vanity Fair vem um artigo, intitulado Southern Exposure, sobre Anita Brenner, que posou para o fot�grafo Edward Weston nos anos 20.
Al�m da hist�ria de Brenner, interessante s� por si e pelo ambiente do M�xico dessa �poca, para mim o mais incr�vel foi a redescoberta de Weston e como a sua fotografia se revela contempor�nea. Nada h� de datado na sua obra. S� o vislumbre de algum autom�vel, pe�a de roupa ou penteado trai a idade das fotografias. E sabemos que estamos perante um mestre quando um simples pimento ao passar pelas suas lentes se transforma numa intricada obra-de-arte.
Um fot�grafo a (re)descobrir.



Nomea��es para os Emmys


Sairam as nomea��es para os emmys e Anjos na Am�rica lidera com 21 nomea��es, inclu�ndo todo o elenco, o que n�o tem precedentes para uma mini-s�rie. Fica a lista:

Mini-S�rie
Realiza��o
Argumento
Actor Principal: Al Pacino
Actriz Principal: Emma Thompson e Meryl Streep
Actor Secund�rio: Patrick Wilson, Justin Kirk, Ben Shenkman e Jeffrey Wright
Actriz Secund�ria: Mary-Louise Parker
Elenco
Direc��o Art�stica
Fotografia
Montagem
Montagem Sonora
Efeitos Visuais
Gen�rico
Guarda-Roupa
Maquilhagem
Penteado

Mais boas not�cias: a s�rie "The Reagans" que, por n�o idolatrar o presidente americano, foi afastada pela CBS para a tv por cabo, ap�s press�es dos rep�blicanos, foi nomeada para 7 emmys, inclu�ndo melhor mini-s�rie, actor, actriz e argumento.

Dia 19 de Setembro s�o conhecidos os vencedores.

Homem-Aranha 2


Fomos hoje ver o homem-aranha 2. Apesar de ser dia de estreia a sala estava meio vazia mas mesmo assim tive direito ao p�blico t�pico do g�nero. Ao meu lado um puto irritante batia os p�s contra o fundo do assento e fazia perguntas parvas ao paizinho. Atr�s, um casal de broncos relia as legendas em voz alta e dissertava sobre o assunto. Por isso, al�m do filme tive direito a coment�rio a�dio sem comprar DVD. Foi uma proeza.
Quanto ao filme em si, � bastante superior ao primeiro e o vil�o de servi�o muito mais interessante. Ao contr�rio de muitos blockbusters que confundem efeitos cgi com hist�ria, este spider-man consegue equilibrar a ac��o e o drama das personagens.
Ali�s n�o me lembro de uma septuagen�ria ter tanto tempo de antena noutro filme deste tipo.
Parab�ns ao Sam Raimi e ficamos � espera do pr�ximo.


15 julho 2004

Sair do armário



Faz dez anos que saí do armário. Estavamos em 1994 e era tudo muito diferente.

Não foi uma coisa a seco, repentina. Infelizmente não foi. Foi sofrida, pensada, repensada, com direito a peças teatrais imensas na minha cabeça. Para mim era quase o fim do mundo, o quarto segredo de Fátima.

Antes da minha mãe só uma amiga sabia. Por força das circunstâncias e porque coloquei a amizade acima da cobardia. Mas isso são outras histórias.

A minha mãe foi oficialmente a primeira a saber. E, confortavelmente para mim, ela sempre foi uma autêntica antena difusora, o que evitou eu ter que contar a mais alguém.

Mas mesmo na história dos "outings" a minha mãe foi única. Quando lhe disse que lhe precisava de contar uma coisa mas que me faltava a coragem a resposta que se seguiu a um longo silêncio foi extraordinária: "Queres ir para o Tibete?". Assim. Sem mais nem menos. Eu próprio fiquei atordoado com semelhante proposta/sugestão. Eu sempre lhe disse que ela deveria ter sido actriz. A imaginação é uma característica que tem muito vincada. Afinal para ela eu era um ser contemplativo. Sempre sossegado. No meu canto. Em busca de algo maior. E por isso não lhe fazia confusão nenhuma que eu quisesse ir atrás da minha própria espiritualidade.

Pode-se pedir mais alguma coisa a uma mãe ? Disse-lhe que não. Que não eram razões espirituais que me levavam a ser como era. Eu era HOMOSSEXUAL e tinha chegado a altura de deitar isso cá para fora.

Realmente queria ir para o Tibete. Mas o da minha cabeça. Atingir a paz. A serenidade que não tive durante grande parte da minha adolescência. Sair do armário era como atingir uma espécie de nirvana. E durante esse ano quase cheguei lá.

Dez anos depois continuo por aqui. Depois de sair do armário as lutas foram outras e a perspectiva mudou. A minha mãe não. permanece a mesma. Deliciosamente única.

Rusty is a homosexual


No blog de Sean Crist deparei-me com o texto Rusty is a homosexual, uma divertida s�tira acompanhada de desenhos muito sixties. Se puderem deiam l� um salto.

14 julho 2004

Adeus Sigourney


N�o � que esteja muito entusiasmado para ir ver o Alien Vs Predator, mas com o Raoul Bova a protagonizar a hist�ria at� vou fazer o sacrificio...

Os piratas portugueses e o casamento gay

Ontem estava a ler um artigo na newsweek sobre a adenda que os republicanos queriam colocar nas leis federais de casamento para impedir as uni�es gays. Neste momento a divis�o no pr�prio partido � grande e os democratas � claro est�o totalmente contra. A meio deparei-me com o termo filibuster. No contexto da not�cia era indicado que os republicanos n�o tinham os 60 votos necess�rios para prevenir a ame�a de "filibuster" dos democratas.

Fiquei parado perante a minha pr�pria ignor�ncia. Que raio era "filibuster" ?

Uma r�pida consulta a um dicion�rio deu-me a resposta. E juntamente com ela tamb�m uma surpresa:

Filibuster: Termo usado para um debate alongado no Senado americano que tem o efeito de prevenir uma vota��o. O termo � adaptado da palavra flibusteiro que era o nome dado aos piratas portugueses e espanh�is que mantinham em cativeiro as tripula��es dos barcos que saqueavam � espera do pagamento de um resgate.

Vivendo e aprendendo...

Kir Royal


Por vezes quando tenho um jantar de amigos em casa preparo um cocktail de entrada. O mais simples e tamb�m o meu favorito � o Kir Royal.

� muito f�cil de preparar:

4 partes de espumante bem frio
1 parte de Cr�me de Cassis da Bols

Encher um flute com o champagne e terminar com o Cr�me de Cassis.

O espumante dever� ser bruto porque o Cr�me de Cassis � bastante doce.

Se n�o houver espumante pode fazer-se com vinho branco. Neste caso chama-se simplesmente Kir.

Soberbo.

Procura-se


Desapareceu repentinamente sem nunca mais dar not�cias. D�-se alvissaras a quem o encontrar. Obrigado.

13 julho 2004

Play with your own dyke


Depois de Billy, o primeiro boneco gay, aparecem agora as primeiras bonecas l�sbicas. A Doc tem um outfit mais campestre no estilo western mas que n�o dispensa a corrente para a carteira. A Diesel � mais citadina com camisa tipo flanela e len�o no bolso traseiro. Finalmente a Rockabilly � mais nocturna de blus�o de couro, tank shirt e tatuagem.
Cada boneca traz ainda um vibrador, um strap-on e um dildo para n�o haver d�vidas que n�o s�o para os mais pequenos.
Tudo isto por 65 d�lares na DYKEDolls. Agora s� falta a lipstick lesbian para os ester�tipos ficarem completos...

12 julho 2004

Rico estrugido



O The Onion � uma das minhas leituras obrigat�rias. Usando a s�tira como forma de coment�rio e cr�tica consegue criar um dos mais originais e contundentes sites de pseudo-not�cias (n�o o ser�o todos ?) da net.

S� algumas das p�rolas da �ltima edi��o:

  • Al-Qaeda Hires Public-Relations Consultant Just To Shoot Him

  • 7-Year-Old Loses Respect For Shrek After Seeing Him In Burger King Commercial

  • Devious Rabbit Tricks Bush Into Signing Gun Ban

Se quiserem ler mais cliquem na cebolinha.

Gadget do m�



Word Clock: Um rel�gio que em vez de anunciar as horas no formato mec�nico ("10:50:32", por exemplo) usa frases familiares ("s�o onze menos dez" ou "� quase meio-dia"). Ser� que se pode personalizar ? J� estou a ver a vers�o portuguesa "faltam duas horas para sair do emprego".

Originalmente no Funforde.

Falso mas com estilo


Pray for mercy from the Puss... in boots.

Ponderemos a Pondera��



A Clara Ferreira Alves escreveu esta semana no Expresso uma cr�nica intitulada A Pondera��o que versava sobre a maior quest�o actualmente na cabe�a dos portugueses: o que fazer �s bandeiras nacionais exibidas por este pa�s fora ? A autora indica duas op��es: atir�-las para o lixo ou junt�-las ao resto da tralha que se acumula em casa. Claro que, tal como reza a cr�nica, ambas as hip�teses s�o ofensivas para o s�mbolo da na��o, mesmo sendo de poli�ster e luzindo sete garbosos pagodes chineses. Mas o problema � mais complexo. A verdadeira quest�o � quando retirar as bandeiras. Estou mesmo a ver as conversas em casa:

--Ent�o Manel quando � que tiramos as 25 bandeiras da varanda ? Preciso das molas pr� roupa!

[longo e embara�oso sil�ncio...]

--Ah Maria, deixa ver se o vizinho tira as dele primeiro...

Tendo em conta este empate t�cnico, e qual Maya em transe, adivinho j� qual ser� o derradeiro desenlace: as bandeiras n�o ser�o retiradas. Porqu� ? F�cil. Porque no pr�ximo m�s v�m a� as Olimp�adas e Portugal encontra-se qualificado na modalidade futebol�stica.
Ningu�m me convence que haja algum portugu�s com bandeiras ao vento que n�o aproveite semelhante oportunidade para diplomaticamente continuar por mais uns tempos a exibir os verde-rubros s�mbolos da Na��o.
A pondera��o continua em Setembro...

Nota: imagem retirada do blog Uma Bandeira em Cada Janela

Economia Dom�stica


H� uns anos optamos por comprar um jipe. Infelizmente o bal�rdio que pagamos de presta��o, selo e seguro, al�m dos litros e litros de gasolina consumidos aos 100 faz-nos pensar prudentemente sobre a pr�xima aquisi��o.
A Toyota nunca foi uma marca muito atractiva mas o novo h�brido, Prius, faz pensar duas vezes por causa da economia no (cada vez mais correctamente apelidado) ouro negro e no contributo para o meio ambiente.
Que venham mais como este.

Q as F






Nathan: You're straight, you don't know anything
Donna: I'm black. And I'm a girl. Try that for a week.


Alexander: He's here, he's queer, I'm buying him a beer!


Stuart Alan Jones: I'm the king of the world!
Vince: I'm always Kate Winslet!


Vince Tyler: [on straight bars] Can you believe it, they have toilets where no-ones ever had sex!



Continuamos � espera...

11 julho 2004

Just a perfect day

Strangers


Comprei na Amazon, depois de ler uma recomenda��o na Attitude, o livro "Strangers: homosexual love in the nineteeth century", escrito por um reputado e premiado autor brit�nico, Graham Rob. Ontem comecei a l�-lo.
� incr�vel como, mesmo para escrever um livro s�rio sobre homossexualidade, um autor com toda a credibilidade sofre na pele as pequenas descrimina��es do dia-a-dia. Exemplo:

* Um bibliotec�rio segredou ao colega os livros que o autor requisitou e que se encontravam encatrafiados numa colec��o denominada de "naughty books' apenas por se referirem � homossexualidade.

* Numa das livrarias a que se dirigiu em Fran�a o autor deparou-se com um vendedor que mantinha os livros sobre gays e l�sbicas por tr�s do balc�o para que tivessem de lhe ser pedidos directamente.

* O director do arquivo fotogr�fico em S�o Petersburgo recusou fornecer uma fotografia quando soube que o livro iria tratar sobre a homossexualidade.

etc, etc, etc.

Infelizmente n�o � nada que n�o suspeitasse. Vou continuar a ler com a esperan�a de perceber como chegamos at� isto...

10 julho 2004

Maria de Lurdes Pintassilgo (1930-2004)


Por vezes h� alturas em que um grupo de pessoas valiosas desaparece de rompante. Confesso que tenho dificuldade em assimilar este tipo de situa��o e fico sempre com a sensa��o que na infelicidade dos n�meros n�o se honram devidamente estas pessoas. S�o pessoas que fazem falta, que empurravam o mundo para a frente, que defendiam causas verdadeiramente nobres, que inovavam, que mexiam com os poderes estabelecidos e que assumiam posi��es de grande frontalidade. Maria de Lurdes Pintassilgo era uma dessas pessoas. Nos �ltimos tempos tinha-se insurgido contra a guerra no Iraque declarando-a de ilegal e ileg�tima tendo inclusivamente participando na manifesta��o em Lisboa a favor da Paz. Na semana passada mostrou o seu inc�modo perante a situa��o actual do pa�s e alertou para os perigos que podiam da� advir. Classificou mesmo a situa��o de "a maior crise pol�tica desde o 25 de Abril". Pelo resultado, n�o foi ouvida. � pena. Para n�s que acreditamos na Democracia, na Paz e nos representantes eleitos nas urnas ficou um �ltimo gesto a confirmar a sua grandeza.

Express�o do m�

VA-VA-VOOM

A qualidade de ser excitante, vigoroso ou sexualmente atractivo.

09 julho 2004

A Democracia est� de luto


And now for something completely different!


Eu j� lhe disse para n�o vir � porta assim, mas ele insiste...


Hoje foi s� pol�tica. Para variar aqui vai um col�rio para a vista...

Not�cia de �ltima hora

Um relat�rio do Comit� de Investiga��o do Senado Norte-Americano indica que as ag�ncias governamentais deram informa��o errada ao governo sobre as armas de destrui��o maci�a. Por isso toca a rolar mais uma cabe�a, desta feita do director da CIA, George Tenet. Afinal, mais uma vez, o bushzito n�o teve culpa de nada.
J� agora que partido est� em maioria no Senado ? Ah, bem que me parecia...

Agora j� se pode dedicar a banir as uni�es gays...

Manchetes nos jornais americanos hoje


  • Bin Laden Is Said to Be Organizing for a U.S. Attack (The New York Times)

  • Officials: Bin Laden guiding plots against U.S. (CNN)

  • Elections may be terror target (Chicago Sun-Times)


Ap�s tr�s anos George Bush estava certo. A sua compet�ncia no combate ao terrorismo afinal deu os seus frutos e n�s � que somos mal agradecidos. Obrigado por tudo...

Mormons e gays

Quando comecei a ler a not�cia abaixo apeteceu-me enviar-lhes uma cassete com os Anjos na Am�rica

Mormons endorse gay marriage ban
The Church of Jesus Christ of Latter-Day Saints (LDS) issued a "statement of principle" Wednesday, saying the denomination "favors a constitutional amendment preserving marriage as the lawful union of a man and a woman."

mas mais � frente vinha isto...

But, one gay Mormon counters, members customarily conform to church principles.
"Mormons are famous for obeying blindly," said Hugo Salinas, associate executive director of Affirmation Gay and Lesbian Mormons. (...)

dentro da m� not�cia em geral, saber que existe uma associa��o de gays e l�sbicas no seio dos mormons � reconfortante.
Assim se v�o travando as pequenas batalhas para ganhar a guerra...

08 julho 2004

coisas que detesto


coisas que adoro


N�o obrigado


Para al�m de todos os seus m�ritos, Anjos na Am�rica apresentou-me a personagem de Roy Cohn. Conhecia o Macartismo e o caso dos Rosenberg mas desconhecia sinceramente Cohn e a sua hist�ria. E infelizmente n�o � um prazer conhec�-lo.
Al�m de ser um dos principais respons�veis pela condena��o e posterior execu��o de Ethel e seu marido, obrigou dezenas de homossexuais a produzir listas de supostos comunistas sob amea�a de os exp�r publicamente.
Como final para uma carreira gloriosa tornou-se advogado de mafiosos sendo dele a edificante frase: "N�o quero saber qual � a lei, quero saber quem � o ju�z".
A ironia do destino � que o seu final foi uma tr�gica queda do estado de gra�a. Advogado desonerado e gay homof�bico morrendo de Sida pretendendo ser Cancro.
Mas na fic��o Belize tem a �ltima palavra, de perd�o, miseric�rdia e reden��o. Gays assim � que s�o precisos. Roy Cohns n�o obrigado.

07 julho 2004

As time goes by...


Cidade maravilhosa...


Este ano o Rio Fashion tinha o seu qu� de Pride com tanto confetti colorido que teimava em colocar-se entre n�s, meros observadores, e aqueles rapag�es de sungas verde e azuis.
Isto j� � o ver�o a dar-me a volta � cabe�a. N�o se preocupem que eu j� melhoro.

05 julho 2004

Um blog nada conservador...

Michael Moore continua em alta. Al�m de ser capa da revista Time desta semana, inaugurou ontem o seu blog em http://www.michaelmoore.com/words/diary/index.php.

Entretanto Fahrenheit 9/11 ultrapassou os 50 milh�es de d�lares na sua segunda semana de exibi��o. Os republicanos ainda n�o perceberam que n�o existe m� publicidade...

Sisley


Ainda me lembro do tempo em que todos os anos a Benetton causava sensa��o com as suas campanhas de marketing. Hoje em dia isso j� n�o acontece e a Benetton anda na m� de baixo. Ao contr�rio dela, muito inovadora e divertida a n�vel de cat�logo anda a Sisley.
Sempre provocadora, sem grandes pol�micas mas muito arrojo e com fotos excelentes como a que ilustra este bitaite. Mais dois mesitos e teremos as fotos da nova colec��o. Espero que t�o boas ou melhores.

Renas e Veados


Tenho de agradecer ao blog Renas e Veados. N�o s� pela men��o ao meu blog mas tamb�m por durante os �ltimos tempos ter sido uma das minhas leituras regulares. Em particular quero agradecer ao Boss pelas palavras de incentivo e tamb�m por ter sido o primeiro a deixar um coment�rio nas minhas p�ginas. Isto est� tudo muito fresco mas espero continuar a evoluir e conseguir chegar ao n�vel de alguns blogs gays nacionais, onde o vosso claramente se destaca.

S� uma nota em rela��o � noite de hoje: tenho a destacar a atitude dos meus conterr�neos aqui na Maia. Mesmo com derrota houve foguetes e buzinadelas. Futebol � um desporto e o saber perder faz parte do jogo. Parab�ns � Gr�cia - Mikonos hoje deve estar um espect�culo ;) - e a Portugal, por alcan�ar a final e pela excelente organiza��o.
At� 2006.